quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Estudo associa consumo de leite a aumento de mortalidade

No dia 28 de outubro de 2014, foi publicado na revista médica BMJ um estudo sueco com resultado no mínimo muito interessante. Durante um período mediano de 13 anos, foram acompanhados cerca de 45 mil homens, e durante um período mediano de 22 anos, foram acompanhadas cerca de 61 mil mulheres. Através de recordatórios alimentares, os pesquisadores puderam estimar o consumo diário de leite e de outros derivados lácteos. Os dados foram ajustados para diversas variáveis como idade, fumo, composição corporal e atividade física. Os pesquisadores verificaram que beber 3 ou mais copos de leite (desnatado ou integral) por dia quando comparado a beber menos de 1 copo aumenta o risco de morte em 93% em mulheres e 10% em homens! Além disso, as mulheres que mais consumiram leite tiveram aumento no risco de fraturas de quadril e em qualquer osso. Quando iogurte e queijos foram avaliados, o risco aumentado de morte e fraturas não se confirmou. Segundo os pesquisadores, um possível culpado seria a D-galactose, que, em estudos com animais, foi associada a envelhecimento precoce.
Contudo, antes que você queira tirar o leite da alimentação, o desenho do estudo sugere, mas não é capaz de confirmar com certeza absoluta que o leite faz mal. Os próprios pesquisadores sugerem que mais estudos sejam feitos para confirmação dos dados.
No nosso meio, onde são comuns as fraudes no leite, não custa, por via das dúvidas, aumentar o consumo de queijos brancos e iogurtes magros. Garantem-se assim os benefícios do cálcio para a saúde óssea e dos probióticos para a saúde intestinal.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Diabetes mellitus e risco de câncer

Alguns estudos sugerem aumento no risco de certos tipos de câncer (fígado, pâncreas, útero/endométrio, intestino grosso, mama e bexiga) em pacientes com com diabetes mellitus tipo 2, possivelmente devido a obesidade associada. Pacientes adultos com diabetes tipo 2 também têm maior chance de morrer por câncer. Uma revisão de 97 estudos, incluindo mais de 800 mil pacientes, mostrou que pacientes diabéticos têm uma chance de morrer por câncer cerca de 25% maior quando comparados aos pacientes não diabéticos. Além disso, o risco foi maior quanto maior o valor da hemoglobina glicada. Em outras palavras, quanto mais elevado o nível de açúcar no sangue, maior a chance de morrer por câncer.
Contudo, as recomendações quanto ao rastreamento do câncer nos pacientes diabéticos não são diferentes das recomendadas para qualquer outra pessoa com mesma idade e sexo.
O médico endocrinologista tem a função não só de tratar os níveis elevados de glicose, mas também de dar assistência integral ao paciente diabético, inclusive no que se refere a prevenção do câncer.
Fonte: UpToDate OnLine


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

domingo, 19 de outubro de 2014

Regra 5210 para emagrecimento saudável

A regra 5210 consiste em 4 mudanças de hábitos para tornar a vida mais saudável e consequentemente perder peso. Deve ser rigorosamente cumpridas TODOS os dias.

  • pelo menos 5 porções de frutas e vegetais.
  • menos de 2 horas em frente de telas de TV, computador, tablets ou smartphones.
  • pelos menos 1 hora de atividade física diária.
  • nada de refrigerantes, sucos industrializados e outras bebidas com açúcar adicionado. Substituí-las por água e leite magro.
Adaptado de Medscape.



Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Saúde mental é importante para quem quer emagrecer

A depressão atípica, que representa cerca de 25% de todos os casos de depressão maior, é caracterizada por aumento do apetite principalmente por doces e carboidratos, sonolência excessiva, instabilidade emocional e extrema sensibilidade à rejeição. Acomete principalmente mulheres e é comum ser diagnosticada durante a adolescência.
Sabe-se que depressão e obesidade estão associadas e uma pode piorar e perpetuar a outra. No paciente com diagnóstico de depressão atípica, o ganho de peso costuma ocorrer durante os episódios depressivos. Por este motivo, o acompanhamento psiquiátrico é muito importante, principalmente para auxiliar na escolha de fármacos que possam ajudar a baixar o peso.
Fonte: Medscape


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Ovos aparentemente não fazem mal a pacientes diabéticos

O ovo frequentemente passa de mocinho a vilão e vice-versa. Estudos populacionais não associam o consumo de ovos a problemas cardiovasculares. Contudo, ainda existe debate sobre o que seria melhor para o paciente diabético. Nos Estados Unidos, existe a recomendação de que o paciente diabético do tipo 2 não deva ultrapassar a cota de 4 ovos por semana. No entanto, esta recomendação não é embasada por estudos de boa qualidade.
No último Encontro da Associação Europeia para o Estudo do Diabetes, em Viena/2014, foi apresentado um trabalho que comparou uma dieta rica com uma pobre em ovos em pacientes diabéticos ou com pré-diabetes. Cento e quarenta pacientes foram divididos em 2 grupos: o primeiro grupo deveria comer no máximo 2 ovos por semana e o segundo grupo deveria comer 2 ovos por dia no café da manhã. Ao final de 3 meses, não houve diferenças significativas entre os grupos em parâmetros metabólicos como glicose (açúcar no sangue), colesterol e triglicerídeos. Um achado interessante foi a tendência de melhores níveis de HDL (colesterol bom) entre participantes que consumiram mais ovos.
Como trata-se de um estudo pequeno e de curta duração, estes dados ainda precisam ser confirmados em populações maiores. Mas ao que parece, o consumo moderado de ovos provavelmente não prejudica os pacientes diabéticos.
Fonte: Medscape


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

domingo, 12 de outubro de 2014

Como não comprar besteira no supermercado

No supermercado, assim como em qualquer outra forma de comércio, os produtos são dispostos de maneira a ficarem mais atraentes. Quem nunca foi no mercado comprar dois tomates e uma cebola e voltou pra casa com uma barra de chocolate ou outras coisas que não estavam nos planos? Pode acreditar, o comércio quebra, e muito, a cabeça para conseguir vender coisas a quem não precisa. Seguem algumas dicas para não cair nas pegadinhas e acabar levando besteiras para casa.

1- Faça uma lista.
Antes de sair de casa, faça uma lista das coisas que estão faltando. Nas prateleiras, temos uma enorme quantidade de opções que nos seduzem e distraem. Ao focar na lista, a chance de se comprar coisas desnecessárias diminui.

2- Não vá ao mercado com fome.
Para quem está querendo perder peso, o melhor horário de ir às compras é após o almoço. Existem estudos que mostram que pessoas com fome ou sede acabam enchendo o carrinho de alimentos mais calóricos.

3- Use um carrinho com tamanho proporcional a suas compras.
Vai no mercado comprar uma caixinha de leite e 2 maçãs? Pegue um cestinho, ou melhor, se conseguir carregar com as mãos, nem precisa pegar nada. Carrinhos de supermercado grandes dão a impressão de que se está comprando pouco. Ou seja, quanto maior o carrinho, maior o espaço pra colocar coisas que não se precisa dentro.

4- Circule apenas nos corredores que interessam.
Já percebeu que os supermercados organizam os produtos em corredores? Se você não tem intenção de comprar bolacha recheada, porque circular no corredor dos biscoitos?

5- Pague em dinheiro.
Antes de ir ao mercado, faça a lista, estime seus gastos e leve apenas a quantia necessária em dinheiro vivo. Assim não se corre o risco de comprar besteira e pagar com o cartão.

6- Prefira comprar em um mercado próximo a sua casa.
Comprar em um mercado da vizinhança tem algumas vantagens. Conseguimos ir a pé a qualquer hora. Isso ajuda a comprar menos e evitar estocar coisas desnecessárias em casa. Além disso, ficamos conhecendo os preços e localização dos produtos, o que torna a ida mais rápida.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

sábado, 11 de outubro de 2014

Quer emagrecer? Evite sucos e refrigerantes

 Dados do Center of Disease Control (CDC), órgão americano parecido com o nosso Ministério da Saúde, mostram que 20 a 40% dos americanos consomem em média 150 calorias desnecessárias vindas de refrigerantes, sucos ou bebidas esportivas todos os dias. Parece óbvio, mas quem quer perder peso precisa cortar estas calorias extras. Opções para substituição não faltam! Chás, café e a boa e velha água estão aí para isso. Se houver dificuldade em cortar completamente, reduzir drasticamente o consumo também ajuda.
Durante a consulta, sempre tire suas dúvidas sobre bebidas com o médico ou nutricionista para poder optar pelas que ajudarão você a atingir seus objetivos.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Os 4 pontos básicos para emagrecer


Chamamos de 4 pontos básicos, porque todos os conhecem, mas nem todos os põem em prática. Aí vão eles!

1- Coma comida de verdade.

Shakes e substitutos alimentares não são a melhor opção para quem deseja perder peso, pois dificilmente viram rotina. Produtos altamente processados também não são uma boa alternativa. O velho arroz, feijão, salada e grelhado é perfeito, especialmente se for preparado por você mesmo.

2- Cuide o tamanho das porções.
Não adianta escolher certinho os alimentos e exagerar na quantidade. Não coloque as panelas na mesa. Levante-se e sirva-se calmamente, observando a quantidade correta de cada alimento.

3- Desligue a TV.
A TV distrai tanto na hora de servir quanto na hora de comer. Acabamos servindo demais e comendo demais entretidos com a telinha. Não tenha TVs perto da mesa de jantar. Alimentação é um momento importante. Deixe a TV para depois.

4- Sente-se para comer.
Já ouviu o ditado "quem come em pé não alcança o que quer"? Quando se trata de alimentação saudável para manter o peso, ele vale muito. Pessoas que comem em pé costumam preferir alimentos menos saudáveis, além disso comem mais rápido e observam menos as quantidades a serem ingeridas.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Quer emagrecer? O primeiro passo é começar a perder peso!

Algumas pessoas têm dificuldade em emagrecer, isto é fato. Ao contrário do que se pensa, o endocrinologista não ajuda só através dos medicamentos. Durante a consulta, médico e paciente enumeram todos os obstáculos para a perda do peso. Logo depois, os dois juntos traçam uma estratégia na qual se procura mudar o que é mais fácil primeiro. Por exemplo, se o paciente acha que é mais fácil deixar de beber refrigerante do que comer mais frutas, dá-se prioridade à primeira mudança. Em um segundo momento, após a perda inicial de peso e com o paciente mais motivado, aborda-se novamente a necessidade de comer frutas. 
Pequenas mudanças, principalmente em pessoas muito acima do peso, já surtem efeito, e isso é um forte motivador! Estudos mostram que a perda de peso no primeiro mês de tratamento é o preditor mais forte de perda de peso no futuro.
Fonte: Medscape


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Dieta equilibrada para o controle de diabetes

A dieta adequada para uma pessoa com diabetes mellitus pode ser seguida por todos que buscam uma vida mais saudável, pois tem as gorduras boas dos peixes, castanhas e azeite de oliva, tem cereais integrais no lugar dos refinados, além de baixo teor de sal. Frutas, legumes e verduras devem estar presentes diariamente na alimentação de todos. A diferença é que a pessoa diabética deve ter um planejamento alimentar que além de suprir as necessidades calóricas sem causar aumento de peso, também tenha as porções fracionadas para evitar períodos prolongados de jejum, que podem ser causa de hipoglicemias.

Para um planejamento alimentar eficiente, são necessários uma avaliação física e comportamental, além de exames laboratoriais. Desta maneira fica mais fácil orientar uma rotina saudável, com alimentos e exercícios físicos na medida certa. O paciente diabético deve ter o compromisso de comer conforme o plano alimentar, dando atenção às quantidades e aos horários recomendados, além de fazer uso correto da medicação prescrita.

Refeições fracionadas, isto é, em intervalos de no máximo 3 horas devem ser preferidas por todos os pacientes diabéticos, especialmente pelos que usam insulina ou comprimidos que possam causar hipoglicemia. Além de evitar queda da glicose, comer pequenas porções várias vezes ao dia traz saciedade e auxilia no controle do peso.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576